sábado, junho 21, 2008

Há dias assim pequeninos que se fazem grandes. Em que vários tragos de vinho são a melhor companhia. Sobretudo acompanhados desta minha grande amiga e mais que irmã Nic. Não preciso dizer-lhe nada para que ela entende. Não precisa falar para que eu diga o que quer dizer. Sem ela, os momentos por cá seriam vazios. E até eles se sentem indignados com tamanha sintonia entre um Frascati italiano e um crepe requintado nas "Artes". Há pessoas assim que nos entendem sem rodeios, contrariando todas aquelas que dizem que não nos fazemos entender. Sou a favor das almas que se estendem a nós, como o Goethe dizia no existencialista Werther. Não, não é "pseudointelectualismo", mas vivência. Jardins de Inverno com flores de Primavera. Lamentamos desiludir os que não gostam dos nossos dicionários. Somos mais leves do que o peso que nos damos. Sem acordos ortográficos.
Reforço: sou um dicionário conceptual. Não precisam dizer nada para que vos entenda. Basta que celebrem a vida! Com ou sem Frascati. Mas com doses excessivas de dias pequenos que se fazem grandes com um abraço prolongado e um sorriso!
Fecha os olhos! Dorme… Este dia foi um embalo de liberdade!C.o.r.po.c.i.d.a.d.e. here we go!

2 comentários:

Cleber Camargo Rodrigues disse...

Vanessa,

em imagens e palavras, você traduz sentimentos e sorvetes.

uma delícia ver e ler suas coisas (aqui em minas as coisas são coisas ou trens).

abraços.

Cleber

Vanessa Rodrigues disse...

Grande Cleber!
Nem sabia, que vc passava por aqui! Foi uma boa surpresa sabê-lo! Obrigada pela força. E em breve estaremos aí, para repor energia na terra das coisas e dos trens! Que, diga-se de passagem, conta histórias como ninguém! Saravá!
beijocas e aquele abraço!
Vanessa