segunda-feira, março 27, 2006

Primeiro Mês

Não doeu. Não custou nada. Acho que nem me apercebi. E passou assim, a correr. Faz hoje, precisamente, um mês que aterrei em terras do Brasil. Depois de quase 20 horas em trânsito. Depois de uma estafa desconfortante.
Do reportório já constam centenas de histórias e centenas de visões diferentes: sons, cheiros, experiências e, claro, rostos de cidadania que se cruzam no meu (ainda pequeno) olhar.
Passou o Carnaval. Passou Maresias. Ilhabela. Passou uma empresa nova. Passou Mato Grosso do Sul, Espírito Santo; Rosa de Samba; “mininos di rua”; constrastes. Trânsito alucinante. São Paulo cinzenta. Sampa animada. Restaurantes Japoneses (muitos). Litros de Sucos. Atemoyas (que o dicionário de língua portuguesa – Portugal- não identifica). Até Açaí com granola - será que estarei viciada? (é um fruto minha gente!)
Passou a procura incessante (e desgastante) por uma casa nova. A mudança de hotel em hotel. A roupa encorrilhada. A roupa suja sem poder ser lavada. A chuva tropical ao final do dia depois de um sol fabuloso. Mas com calor persistente. E agora é Outono. E o calor continua.
Passou tanto. Que é impossível enumerar tudo e não esquecer nada. Mas mais importante que enumerar o que passou é falar do que fica. E isso posso assegurar. Está tudo gravado. Fica tudo. E ainda (bem que) falta muito!

1 comentário:

Diogo Esj disse...

Vani, como estao a correr as coisas por ai?
Apopsto que te estas a divertir....que nem burguesa! Um bjinho