segunda-feira, julho 17, 2006

Sobre Sampa; e as pequenas coisas

Não é só uma cidade fria em busca de identidade. É um lugar de rostos esquecidos. De humanidade subjugada às leis do cinzento das palavras. Ao som da discriminatória disputa dos cantos comerciais. Do nada e da perdida esquina que sussurra rasgos e rugas penetradas pela cidade que se expandiu sem rumo. Nem caminho. Nem certezas dos rostos diversos que se espalham nus na calçada. É um lugar de desafio. De procura de humanidade. De calor. Do fervilhar das relações sinceras e ansiosas de olhares. De rejeição. De indiferença e injustiça. De desgaste. Ou apenas revolta!Recusa!


© Vanessa Rodrigues

© Vanessa Rodrigues

© Vanessa Rodrigues

© Vanessa Rodrigues

© Vanessa Rodrigues

3 comentários:

João…zinho!! disse...

Porque um lugar de rejeicao?
Mais uma vez, gostei das fotos...
Bjs,

Divã d'Insónia disse...

Porque a cidade é desumana, nas pequenas coisas. Não se adequa às carências, necessidades. Rejeita, com a imponência, o essencial.

Anónimo disse...

A explicação está nos modos da cidade, nada acolhedores. Sampadesumanapairacruelnocontextodafotografia!
(...)
Muito bom teu reflexo e tua reflexão!
Manoel